PODER LEGISLATIVO DE CARNAÚBA DOS DANTAS

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

CARNAUBA DOS DANTAS

Os índios Cariris, de natureza nômade, dominavam a região chamada de Sertão do Acauã, compreendida entre os municípios de Currais Novos e Jardim do Seridó. Com um estilo peculiar de vida, os Cariris, primeiros habitantes da área, alimentavam-se de frutos, raízes e mel de abelha, e tinham prática em assaltos e pilhagens.

Nos idos de 1700, chegava à localidade o Tenente Francisco Fernandes de Souza, na primeira tentativa de povoamento que se tem notícia. Algum tempo depois, surgiu Caetano Dantas Correia para iniciar uma vida que iria estar totalmente vinculada à história da região.

Vindo de Pernambuco, Caetano Dantas Correia trouxe boiadas e implantou a Fazenda Carnaúba, nos idos de 1740, segundo o livro Nomes da Terra, de Câmara Cascudo, dando origem ao povoado e à futura cidade.

Em 13 de agosto de 1790, segundo o livro Seridó, de José Augusto, Caetano Dantas passou para sua filha Anna, casada com Antônio Tomaz de Azevedo, através de documento de dotação, rezes, terras, prata, ouro e escravos.

O povoamento começou a crescer e, em 1897, surgiu a primeira feira da localidade, durando apenas um pouco mais de um ano. Seis anos depois, em 1903, a feira foi restabelecida.

O povoado desenvolveu-se em torno da atual capela, construída em homenagem a São José, no ano de 1900, com a orientação de Antônio Dantas Maria, um descendente de Caetano Dantas Correia.

O nome do povoado, Carnaúba dos Dantas, vem da união do vegetal em abundância na área, a carnaúba, e o nome identificador do homem pioneiro e seu real fundador, Caetano Dantas Correia.

Ainda pertencente a Acari, o distrito foi criado em 31 de outubro de 1938. Em 11 de dezembro de 1953, Carnaúba dos Dantas, desmembrou-se de Acari e passou a ser um novo município.



Duas festas religiosas se destacam em Carnaúba dos Dantas. No dia 25 de outubro, tem a festa de Nossa Senhora das Vitórias, no Santuário do Monte do Galo, com grande presença de romeiros e fiéis. No dia 19 de março acontece a festa do padroeiro da cidade, São José.

m outubro de 1736, quando Rodrigo Alves Carneiro recebeu uma Data de terra situada no rio da Pedra Preta, também chamado de riacho Pajeú, estava iniciando-se um futuro povoado.

século XVII, o crescimento daquela área na atividade pastoril foi considerado muito bom. Este resultado devia-se ao grande movimento em torno da região onde futuramente seria o município de Lajes. Mas no século XIX, Pedra Preta estabiliza-se e mantém o ritmo lento de progresso.

Ao povoado chega a estrada de Ferro Central do Rio Grande do Norte, e com ela o desenvolvimento do território foi impulsionado pelo aumento populacional, por uma maior integração comercial e pela grande facilidade no escoamento da produção agrícola e pecuária. Em 14 de novembro de 1913, era inaugurada a estação ferroviária de Pedra Preta, foi dia festivo e que deu início a uma nova etapa na vida da povoação.

mais

mais

mais

ALEXANDRE LÚCIO: "O COVEIRO DOS ANIMAIS"

Carnaúba dos Dantas, pequena cidade do seridó potiguar possui algo bastante incomum - senão inédito, em praticamente todos os mais de cinco mil municípios brasileiros.
É a existência de um "coveiro de animais". Seu nome é Alexandre Lúcio (neto do grande maestro Felinto Lúcio) e que diariamente percorre as ruas da sua cidade pedalando uma velha bicicleta, equipada com sirene, luzes intermitentes e um caixote, onde são transportados, gatos, cachorros, ovelhas, bodes, galinhas, raposas, timbús e outros animais de pequeno porte, que faleceram e são encontrados por Alexandre, ou são entregues ao mesmo, pelos seus antigos proprietários para o "devido sepultamento".
Todo o serviço é gratuito e não existe vínculo empregatício entre o abnegado coveiro e a Prefeitura Municipal.
Animal colocado dentro do caixote, Alexandre liga as luzes intermitentes e a sirene da "bicicleta funerária" e toma o rumo do seu cemitério particular de animais (Cemitério de Animais São Francisco de Assis), que hoje está localizado ao lado do lixão municipal, e que anteriormente existia em um sítio de propriedade de seus familiares.
Chegando ao cemitério, Alexandre efetua os procedimentos necessários, tais como: observação da causa-mortis, anotações em formulário específico (Livro de Ocorrências) e posterior enterro em cova devidamente identificada.
Findo o sepultamente, o "coveiro dos animais", fica na expectativa de novas ocorrências sempre atento ao seu telefone celular que aceita ligações grátis de orelhão e telefone fixo.
Bem articulado, bastante inteligente e de uma simpatia cativante, Alexandre demonstra a cada instante a sua preocupação com as questões ambientais, que assolam o nosso planeta.
Tido como "lunático", por uns, e elogiados pela maioria da população carnaubense que reconhece o seu trabalho de sepultar os animais que anteriormente ficavam se decompondo ao relento, provocando mal odor e transmitindo doenças, Alexandre segue em frente e tem como objetivo maior conseguir trocar a sua velha "bicicleta funerária", por uma "moto funerária", que segundo suas próprias palavras agilizaria bastante seus deslocamentos.
A TV Record de São Paulo, em 2009 mandou uma equipe teve a Carnaúba, para à realização de um documentário sobre as potencialidades turísticas do município e aproveitou para realizar uma matéria com Alexandre. Essa matéria no programa Domingo Espetacular.
fonte - Blod do Valderi Queiroz Xavier

mais

Quem sou eu

Minha foto
Sou o subtenente PM/RN JOSÉ MARIA DAS CHAGAS, natural de Mossoró-RN, pai de quatro filhos e que tem como base principal de vida:AMAR A DEUS SOBRE TODAS AS COISAS" e AMAR AO PRÓXIMO COMO AMO A MIM MESMO"; ÃLÉM DE SER HUMILDADE E ATÉ A PRESENTE DATA NUNCA ECONOMIZEI UM GOTA DE HONESTIDADE. TENHO A MANIA DE ESCREVER, ESCREVER, ESCREVER, DE LER, LER, LER; DE PESQUISAR. COM CINCO BLOGS NA REDE MUNDIAL DE COMPUTADORES, CUJA META FINAL É DE CHEGAR AOS 7 BLOGS E 400 LINKS. SOU 95 POR CENTO TORCEDOR DO BARAÚNAS, O MAIS QUERIDO DE MOSSORÓ E 5 POR CENTO FLUMINENSE.